Na maioria das distribuições o VI é a editor de texto padrão. Apesar de ter boas funcionalidades, este não é nem um pouco amigável, se tratando de um usuário leigo.

Modos de execução

No VI existem três modos de execução, sendo eles:

  1. Modo de navegação
  2. Modo de inserção
  3. Modo de comando

Modo de navegação

É o modo inicial do VI. Ao iniciarmos a editação de um arquivo caímos no modo de navegação.  É a partir do modo de navegação que poderemos então entrar no Modo de inserção e Modo de comando

Após o comando acima estamos em modo de navegação. Este modo permite a execução de uma série de comandos, veja na tabela de comandos abaixo:

Tecla(s)Ação
O, $Início e fim da linha
1G, GInício e fim do documento
(, )Início e fim da sentença
{, }Início e fim do parágrafo
w, WPular palavra e pular palavra incluindo a pontuação
h, j, k, lEsquerda, para baixo, para cima, direta
/, ?Busca para frente e para trás
iEntra no modo de inserção, na posição atual do cursos
a, AEntra no modo de inserção depois do cursor, ou no fim da linha
o, OAdiciona linha e entra no modo de inserção depois ou antes do cursor
s, SApaga item ou linha e entra no modo de inserção
cModifica um item com a inserção de texto
rSubstitui um único caractere
xApaga um único caractere
y, yyCopia um item ou toda a linha
p, PCola o conteúdo depois ou antes do cursor
uDesfazer
ZZFecha e salva
ZQFecha e não salva

Modo de inserção

Para entrar no modo de inserção devemos apertar a tecla “i” ou “a”. Ao entrar no modo de inserção você poderá inserir e apagar o texto no arquivo.

Para finalizar o modo de inserção e voltar para o modo de navegação aperte a tecla “ESC”.

Modo de comando

Para entrar no modo de comando aperte a tecla ” : “.

Este comando é precedido por outro comando, executando assim uma ação de acordo com a tabela abaixo:

ComandoAção
:!Permite executar um comando do Shell
:quit ou :qFecha o arquivo
:quit! ou :q!Fecha o arquivo sem salvar
:wqSalva e fecha o arquivo
:exit ou :eFecha e salva, se necessário
:visualVolta para o modo de comando

Lembrando que alguns comandos possuem a mesma ação.

Se você usa o suPHP sabia que todos os arquivos devem ter permissão 644 e diretórios 755.

Para resolver esse problema vá até a pasta no qual deseja aplicar as permissão acima em massa, e execute os seguintes comandos:

 

 

 

Quando estamos utilizando a versão 64 bits do Linux geralmente a IDE nos lança o erro ADB Not Found.

Depois de pesquisar encontrei uma simples solução para o problema, basta instalar a library IA32:

Fonte: http://stackoverflow.com/questions/13571145/android-adb-not-found

Adicione o repositório e atualize:

 

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java

sudo apt-get update

 

Para instalar o Java 8:

 

sudo apt-get install oracle-java8-installer

 

Caso possua outra versão já instalada, use o seguinte comando para adicionar a nova versão como padrão:

 

sudo apt-get install oracle-java8-set-default

 

 

OBS: Se quiser instalar uma versão anterior do Java como Java 7 ou Java 6, basta substituir o número da versão no comando de instalação para a versão desejada, por exemplo, para instalar o Java 7 “sudo apt-get install oracle-java7-installer”

debian colored terminal

Diferente do Ubuntu, o Debian 6 Squeeze não tem o texto colorido no Terminal ou SSH das pastas, arquivos e etc…

Pesquisando um pouco encontrei a seguinte solução:

1 – Edite o arquivo /etc/bash.bashrc

 


2 – Adicione o seguinte código no arquivo:

3 – Feche o Terminal (SSH), em seguida abra-o novamente e verifique os resultados

 

Fonte: http://jbsteiner.com/article/enabling-colorful-bash-debian-squeeze

O módulo do Apache mod_rewrite permite reescrever os endereços (URL’s) de forma a não apontar ao endereço real do arquivo e nome real do arquivo. Este é muito utilizado para se criar as chamadas URLs Amigáveis.

 

Para ativar o módulo mod_rewrite basta usar o seguinte comando:

 

Agora edite o arquivo referente ao VIrtual Host no qual deseja que o mod_rewrite funcione, para o nosso exemplo editei o arquivo referente ao dominio “localhost”:

Procure por “AllowOverride None” e altere para “AllowOverride All” para todas as ocorrências.

 

Reinicie o Servidor Apache:

 

Pronto!

 

Caso queira desativar mod_rewrite:

Há um mês atrás foi lançado o Debian 7.0 (Wheezy) Stable. Hoje ensinarei como atualizar Debian 6 (Squeeze) para Debian 7 (Wheezy).

Este tutorial funciona nas arquiteturas 32 / 64 bits.

 

Abra sua lista de repositórios:

Remova todos os repositórios do Squeeze e adicione os repositórios para o Wheezy:

Atualize a lista de pacotes:

Atualize o sistema:

Atualize a distro:

Pronto. Agora reinicie o sistema e verifique a nova versão:

 

Fonte: http://www.cyberciti.biz/faq/howto-debian-linux-upgrade-6-squeeze-to-7-wheezy/

IonCube é um programa que protege o código fonte de scripts PHP através de uma criptografia. Para que o mesmo possa ser lido é necessário que o PHP pussua o módulo IonCube instalado e ativado.

Você encontrará a versão mais recente do IonCube loader em: http://www.ioncube.com/loaders.php

Como Instalar IonCube Loader ?

 

1 – Baixe o IonCube Loader:

2 – Descompacte o arquivo:

3 – Mova a pasta que foi descompactada para algum local:

4 – Adicione uma referência para o Loader no “php.ini”, escolhendo a versão do mesmo a ser utilizada:

 

Adicione a seguinte linha no arquivo (A versão do IonCube Loader a ser utilizada deve ser a mesma versão do seu PHP instalado, neste exemplo como estou usando PHP 5.3.x o IonCube deve também ser da mesma versão (5.3):

 

5 – Reinicie o Apache:

Pronto!

 

DomainKeys Identified Mail (DKIM) é um método de validação de email que utiliza chave pública e privada. A chave privada é usada para assinar cada mensagem enviada e a chave pública é usada pelo receptor da mensagem para válidar a assinatura. É muito importante que se utilize DKIM pois além de evitar fraudes ele faz com que seus emails tenham mais chances de não serem classificados como SPAM.

Ao fazer este tutorial usei o Debian e DKIM-Filter 2.8.2.

 

Instalando e Configurando Domain Keys Identified Mails (DKIM)

 

1. Instale dkim-filter:

 

2. Crie as chaves (pública e privada) e as pastas onde as mesmas deverão ficar. Repita este processo para cada domínio que deseja utilizar DKIM. Utilizei o domínio “masterdaweb.com” como exemplo:

Na pasta onde criamos as chaves, /etc/dkim/keys/masterdaweb.com, teremos dois arquivos:

default.private (contém a chave privada)
default.txt (contém a chave pública)

O próprio nome do arquivo “default.private” é usado como o nome do SELECTOR, que será usado nas configurações de DNS. Caso queira alterar o nome do SELECTOR basta alterar o nome do arquivo “default.private”. No nosso exemplo deixaremos como está.

 

3. Crie o arquivo “/etc/dkim-keys.conf”:

Adicione a seguinte linha para cada domínio que deseja utilizar DKIM:

*@masterdaweb.com:masterdaweb.com:/etc/dkim/keys/masterdaweb.com/default.private

Como no nosso exemplo não alteremos o nome do SELECTOR, então por padrão ele terá o nome “default.private”, caso tenha alterado o nome do SELECTOR corrija a linha adicionada acima com o nome usado.

 

4. Adicione um registro TXT no DNS de cada domínio que utilizará DKIM. O registro TXT que usaremos está em “/etc/dkim/keys/masterdaweb.com/default.txt”. Para isso siga os seguintes passos: 

Copie registro TXT:

Antes de adicionar o registro TXT copiado, altere o registro de acordo com o nome do SELECTOR. No nosso exemplo, o registro copiado foi:

default._domainkey IN TXT “v=DKIM1; g=*; k=rsa; p=MIGfMA0GCSqGSIb3DQEBAQUAA4GNADCBiQKBgQDewoXL1vvGBj/AyFYblIQSc1l5jRsYjDkeE4jVLSIDwgpqnWAMB6ibSuBU/ZS4zIWqIj2rTxHhowIO19obe9orf7XgKcq3kKAqtreznW15BfMBpCAoHVNd3q0yjniANFIXFH7mxEljR+ufFOtGYzIytFwPmDn2VepKZBaqLOOHDwIDAQAB” ;

No lugar da palavra “default”, coloque o nome do SELECTOR:

default.private._domainkey IN TXT “v=DKIM1; g=*; k=rsa; p=MIGfMA0GCSqGSIb3DQEBAQUAA4GNADCBiQKBgQDewoXL1vvGBj/AyFYblIQSc1l5jRsYjDkeE4jVLSIDwgpqnWAMB6ibSuBU/ZS4zIWqIj2rTxHhowIO19obe9orf7XgKcq3kKAqtreznW15BfMBpCAoHVNd3q0yjniANFIXFH7mxEljR+ufFOtGYzIytFwPmDn2VepKZBaqLOOHDwIDAQAB” ;

Agora insira no DNS do domínio o registro TXT editado.

Para verificar se o registro TXT adicionado é válido existe uma ferramente online: http://dkimcore.org/c/keycheck

 

5. Crie o arquivo ” /etc/dkim-filter.conf”:

Adicione no arquivo a seguinte linha:

 

6. Abra o arquivo ” /etc/default/dkim-filter”:

Adicione no arquivo o seguinte socket:

SOCKET=”inet:8891@localhost”

 

7. Configure o Postfix para consultar o DKIM-Filter usando o socket criado anteriormente:

Adicione no arquivo as segunites linhas:

milter_default_action = accept
milter_protocol = 2
smtpd_milters = inet:localhost:8891
non_smtpd_milters = inet:localhost:8891

 

8. Reinicie o DKIM-Filter e recarregue as configurações do Postfix:

Pronto! Agora aguarde a propagação do DNS e em seguida faça um teste enviando um email e verificando o cabeçalho do mesmo para saber se o DKIM está funcionando corretamente.

Existem sites que reduzem a velocidade de download por conexão. Com o Axel você fará downloads muito mais rápido já que ele abre várias conexões, e assim aumentando a velocidade do download.

Como instalar Axel Download Accelerator ?

$ wget http://alioth.debian.org/frs/download.php/3016/axel-2.4.tar.bz2
$ tar -zxvf
$ ./configure
$ make install

Fazendo Downloads com Axel Download Accelerator:

Basta usar o comando “axel” seguido do link para o arquivo:

$ axel http://www.scilab.org/download/5.3.3/scilab-5.3.3.bin.linux-i686.tar.gz

Output:

Initializing download: http://www.scilab.org/download/5.3.3/scilab-5.3.3.bin.linux-i686.tar.gz
File size: 148844055 bytes
Opening output file scilab-5.3.3.bin.linux-i686.tar.gz.1
State file found: 367393 bytes downloaded, 148476662 to go.
Starting download

,,,,,,,,.. ………. ………. ………. ………. [ 16.7KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 32.6KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 40.9KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 49.2KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 55.1KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 66.5KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 76.4KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 81.6KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 83.5KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 92.6KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 93.5KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 93.7KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 91.4KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 94.5KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 96.1KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 93.3KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 98.9KB/s]
[ 0%] ………. ………. ………. ………. ………. [ 100.3KB/s]
………………………………………………………………
Downloaded 141.9 megabytes in 15:47 seconds. (153.33 KB/s)

 

Existem alguns parâmetros opcionais como, por exemplo, limitar a velocidade do download, número de conexões e etc.: