Acidentes acontecem. Perder ou esquecer uma senha não é nada incomum. Neste breve guia, ensinaremos a alterar a senha de root do MySQL, em servidores Linux.

Primeiramente, certifique-se de que você esteja logado no sistema como root. 

Iremos editar o arquivo “/etc/my.cnf” e adicionar no final dele a seguinte diretiva:

Reinicie o serviço MySQL:

Agora conseguiremos fazer o login no MySQL como root:

Limpe as configurações de privilégios do MySQL:

Agora será o passo mais importante, com o comando abaixo iremos alterar a senha de root:

Já podemos então sair do CLI do MySQL:

Volte no arquivo “/etc/my.cnf” e REMOVA a linha que adicionamos anteriormente:

Reinicie o MySQL:

Pronto! A senha de root do MySQL foi alterada.

Ao fazer alguma conexão por SSH, no Linux, depois de alguns minutos de inatividade, esta conexão é perdida. Neste tutorial, iremos ensinar como fazer o Keep Alive de uma conexão SSH, no Linux.

Iremos editar o arquivo “/etc/ssh/ssh_config”:

Em seguida, basta “descomentar” ou adicionar as seguintes linhas: 

Reinicie o SSH Client:

Quanto de banda mensal o seu servidor Linux está utilizando ?

Para responder a esta pergunta, utilizaremos o utilitário “vnstat”.

Instalando e utilizando o vnstat

Instale o vnstat:

Configure a interface de rede no qual deseja monitorar (em nosso exemplo utilizamos a interface “eth0”):

A partir de agora, basta aguardar alguns minutos até que o vnstat contabilize dados o suficiente para exibir os relatórios de uso.

Para exibir o relatório de uso mensal:

Saída do comando acima:

Outras opções do vnstat:

 

Ao iniciarmos o Linux em modo de recuperação, por exemplo, a partição root será montada somente leitura.

Como remontar a partição root em modo Leitura / Escrita ?

Após a inicialização Linux, execute o comando abaixo para remontar em modo Leitura e Escrita:

Pronto, agora a partição root foi remontada em modo leitura / escrita.

Instalar o ZFS no Debian 9 Stretch é um processo simples, não requer muitos passos. Vamos lá!

Primeiramente certifique-se de que o seu repositório “sources.list” contém os repositórios “contrib”:

É necessário a instalação do Kernel Headers:

Então poderemos iniciar a instalação do ZFS:

Durante a instalação poderá ser exibida uma tela de licença, basta ignorar e pressionar “OK”.

Em alguns casos, será necessário utilizar o comando abaixo para que os módulos do ZFS sejam carregados ao inicializar:

Pronto, o ZFS está instalado. Usaremos a partição “/dev/sda3” e “/dev/sdb” para criar nosso pool stripped:

Vamos visualizar nossa pool:

Caso tenha interesse em ativar a compressão do ZFS:

Quando quiser verificar a taxa de compressão:

Configurando o ZFS ARC

ZFS ARC é o mecanismo de criar cache dos dados, armazenando este na memória RAM, tornando assim o acesso muito mais rápido. Porém este recurso, se não configurado da maneira adequada, poderá ocupar boa parte da memória RAM.

Para limitar o uso de memória RAM pelo ZFS ARC, vamos criar um arquivo em “/etc/modprobe.d/zfs.conf”, e adicionar as seguintes diretivas abaixo, que definirá a quantidade mínima e máxima (em bytes) de memória RAM que poderá ser utilizada pelo ZFS ARC:

Para o nosso exemplo, definimos um mínimo de 512 MB e máximo de 1024 MB. Os valores são definidos em bytes.

Basta salvar o arquivo e executar o comando abaixo para atualizar a imagem do Kernel, que na próxima inicialização carregará as definições do ZFS ARC aplicadas acima:

Pronto! Basta reiniciar o servidor e as configurações de ZFS ARC estarão aplicadas.

NFS é um sistema de arquivos que pode ser compartilhado por diversos hosts.

Neste tutorial, estaremos explicando como instalar e configurar um servidor NFS no Debian 8 Jessie.

Instalando e configurando um servidor NFS

Primeiramente, utilizamos o comando abaixo para instalar o servidor NFS:

Nossa pasta a ser compartilhada ficará em “/var/lib/vz/nfs”:

É no arquivo “/etc/exports” que são feitas as configurações do pontos de montagem NFS:

Cada linha do arquivo corresponde a um cliente que poderá acessar o seu servidor NFS:

Com as configurações acima feitas, basta salvar o arquivo e então reiniciar o service NFS:

 

Algumas distribuições Linux, tais como Ubuntu Server, por padrão não permitem o login do usuário Root no SSH.

Para permitir o acesso Root via SSH edite o arquivo sshd_config:

Em seguida, procure pela diretiva PermitRootLogin e altere para a seguinte forma:

Agora reinicie o serviço SSH:

Pronto!

IonCube é um programa que protege o código fonte de scripts PHP através de uma criptografia. Para que o mesmo possa ser lido é necessário que o PHP pussua o módulo IonCube instalado e ativado.

Você encontrará a versão mais recente do IonCube loader em: http://www.ioncube.com/loaders.php

Como Instalar IonCube Loader ?

 

1 – Baixe o IonCube Loader:

2 – Descompacte o arquivo:

3 – Mova a pasta que foi descompactada para algum local:

4 – Adicione uma referência para o Loader no “php.ini”, escolhendo a versão do mesmo a ser utilizada:

 

Adicione a seguinte linha no arquivo (A versão do IonCube Loader a ser utilizada deve ser a mesma versão do seu PHP instalado, neste exemplo como estou usando PHP 5.3.x o IonCube deve também ser da mesma versão (5.3):

 

5 – Reinicie o Apache:

Pronto!

 

O agendamento de tarefas é um recurso muito útil como, por exemplo, na manutenção e backup do servidor e etc. No Linux isso pode ser feito utilizando o “crontab“.

Utilizando o comando crontab -operação lhe permitirá adicionar, listar ou remover suas tarefas agendadas.

Exemplo:

crontab -e (edita tarefas agendadas do usuário masterdaweb)
crontab -l (exibe as tarefas agendadas do usuário masterdaweb)
crontab -r (remove as tarefas agendadas do usuário masterdaweb)

Ao editar um crontab, você deverá inserir com que frequência ou periodo uma determinada ação será executada, por exemplo:

10 02 * * * /home/masterdaweb/backup.sh

No nosso exemplo acima, significa que o script “backup.sh” será executado todos os dias às 02:10. A escrita é de trás pra frente, o primeiro campo são os minutos e o segundo são as horas. Os três campos restantes significam em sua ordem, dia, mês e dia da semana. O dia da semana é especificado de 0-6, cada número representa um dia da semana:

0 – Domingo
1 – Segunda
2 – Terça
      …
6 – Sábado

O asterisco usado nos campos de dia, mês e dia da semana significa que o agendamento acima vale para todos os dias, meses e dias da semana. Se quisessemos, por exemplo, fazer com que o script de backup fosse executado a cada minuto, teriamos que usar asterisco em todos os campos:

* * * * * /home/masterdaweb/backup.sh

Em “linguagem de crontab” o script de backup seria executado em todos os minuto, todas as horas, todos os dias, todos os meses, todos os dias da semana.